quarta-feira, 12 de março de 2008

Lançamentos da Jambô

Foi anunciado no site da Jambô a lista de lançamentos para o 1º semestre deste ano. A lista conta com títulos como a tão aguardada aventura Contra Arsenal, os suplementos Galrasia: Mundo Perdido e o Sem Trégua, volume 2 além de dois novos módulos básicos: Mutantes & Malfeitores (ou simplesmente M&M) e os Reinos de Moreania.
Com esses lançamentos, a Jambô acerta em cheio e mostra por que é considerada por muitos a melhor editora de RPG brasileira.

terça-feira, 11 de março de 2008

O Fim da Lenda de Gygax


Infelizmente venho dar uma péssima noticia:
Ernest Gary Gygax, um dos criadores do nosso amado Dungeon&Dragons faleceu...
Tomara que ele esteja rolando bons dados com o pessoal do andar de cima. Porém é sempre bom lembrar que RPGista não morre, cria outro personagem :)

Descanse em paz... alias, descansar não! Combata muitos dragões e desvende muitas masmorras nessa sua nova lenda!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Armaduras Dracônicas

Feitas das escamas de dragões abatidos, as armaduras dracônicas retêm grande poder magico e também uma habilidade de resistência a elementos. Estas armaduras, embora raras, são de extrema importância e ajudam (e muito) no combate contra um dragão.
Armaduras dracônicas possuem coloração naturalmente, que ira depender do dragão a qual as escamas pertenciam, porém, a cor se perde durante os anos e com elas levam a habilidade de resistência do equipamento.

Resistência elemental: As armaduras dracônicas concedem resistência a energia igual a 2+ o nível do dragão a qual as escamas pertenciam. Cada cor de armadura concede uma resistência diferente.
Perda de habilidade: Armaduras dracônicas perdem suas propriedades místicas e deixam de conceder bonus a seus usuários dentro de um determinado tempo (veja mais abaixo). Isso ocorre pois as escamas não estão mais em contato com a aura magica do dragão e, mesmo se continuassem sobre uma aura, os dragões trocam de escamas de tempos em tempos, pois as velhas não protegem tão bem quanto escamas novas.
CA: Existem apenas armaduras dracônicas do tipo couraça, que confere um bonus de +8 na CA, outros tipos, como por exemplo uma cota de malha, são fabricadas raramente e possuem custo maior pois necessitam do mesmo trabalhode criação e protegem menos seus usuarios

Armadura Vermelha
Esta é a armadura mais “quente” dentre todos os tipos. Concede resistência a fogo e perdem a habilidade dentro de 2 anos.

Armadura Azul
A armadura azul concede resistência a energia elétrica, desde uma pequena descarga elétrica até um poderoso relâmpago. É comum o usuário levar pequenas descargas elétricas quando usa uma armadura deste tipo muito nova. Perdem a habilidade dentro de 3 anos.

Armadura Negra
Este é o tipo mais sombrio de armadura, principalmente quando suas escamas perdem o brilho, ficando com uma cor morta. Concede resistência a acido e perde a habilidade dentro de 5 anos.

Armadura Verde
Esta armadura normalmente é fabricada de modo a proteger os ouvidos, pois concede resistência a efeitos sonoros. Possui vários orifícios entre as escamas que provocam um pequeno som quando o usuário se movimenta muito rápido. Perdem a habilidade dentro de 2 anos.

Armadura Branca
Esta armadura concede uma extrema habilidade de resistência a energias baixas. Suas escamas são totalmente brancas e perdem o brilho (juntamente com a habilidade) dentro de 2 anos.

sábado, 1 de março de 2008

Horror dos Túmulos

Esta apavorante criatura pode ser facilmente confundida com um esqueleto. Um olhar mais atento revela que os ossos estão cobertos com uma gosma esverdeada e pulsante. Na verdade o Horror dos Túmulos não é um morto-vivo, como pode parecer à primeira vista, e sim um tipo de invertebrado gelatinoso que usa um esqueleto para sustentar sua forma semilíquida.
O monstro faz até dois ataques por turno com as garras. Cada vez que realiza um ataque bem-sucedido, além de causar dano, o Horror deixa um pouco de sua própria substância na vitima. A gosma começa então a dissolver e penetrar na vestimenta, provocando a perda de 1 ponto na armadura a cada 3 turnos. Quando a armadura chegar a 0 terá sido completamente destruída, e a substancia começara a penetrar na pele e se espalhar pela carne, causando 1d4 -1 pontos de dano por turno (Fortitude CD 10 para metade do dano). Quando os PVs da vitima chegar a 0, ela terá sido reduzida a um esqueleto e transformada em um Horror dos Túmulos. A única forma de deter a ação da substancia é com fogo ou dano mágico de qualquer tipo (porém, o personagem sofrera metade do dano). Livrar-se da gosma consome um turno inteiro.
Ataques normais contra a criatura despedaçam seu esqueleto e impedem que continue lutando, mas ela só pode ser totalmente destruída com fogo ou magia. Ataques feitos de mãos vazias contra o Horror também provocam contagio. A criatura é imune a qualquer forma de veneno ou gás. Costumam atacar em cemitérios, aproveitando sua semelhança com mortos-vivos para enganar aventureiros.

Horror dos Túmulos: ND 2;Morto-vivo (médio); NM; 2d12 (12 PVs); Iniciativa +5; Deslocamento 9m; CA 14, toque 11, surpreso 14; Ataques/Dano: 2 garras +1 (1d4 +1 e contágio); Ataques Especiais: Contágio; Qualidades Especiais: Imunidades, Percepção as Cegas,Redução de Dano 5/ esmagamento; Fort -, Ref +2, Vont +4; For 10, Des 13 (+1), Cons -, Int 15 (+2), Sab 0, Car 6 (–2); Perícias: Disfarces +4, Esconder se +6; Talentos: Iniciativa Aprimorada, Vitalidade

Contágio: qualquer ataque bem-sucedido do Horror dos Túmulos deixa um pouco da substancia que forma a criatura. Para mais detalhes leia a descrição.
Imunidades: Horrores são imunes a veneno, gás, ou qualquer outro efeito que precise de um teste de Fortitude.
Percepção as Cegas: O Horror Poe perceber inimigos a até 18 metros sem enxergá-los, mesmo criaturas invisíveis ou em área de Escuridão.
Redução de Dano 5/esmagamento: Horrores do Túmulo ignoram os 5 primeiros pontos de dano causado por armas que cortam ou perfuram (ou seja, um ataque que causaria 9 pontos de dano na verdade causa apenas 4 pontos). Armas que causam dano por esmagamento causam dano normal.


Este artigo foi publicado originalmente na revista Tormenta nº15, com regras para o sistema 3D&T.